BlogBlogs.Com.Br

terça-feira, 29 de setembro de 2009

Vida após a morte: é possível!

Não, não... Apesar de eu seguir a doutrina espírita, não é sobre a vida espiritual a que me refiro.

Me refiro a vida que pode ser salva, após a sua morte, ou a minha.

Estou falando de doação de órgãos.

Eu sou a favor.

Eu parto do princípio de que, depois que o espírito, a alma, a aura, ou seja qual for o nome que cada um atribui a nossa essência deixa o corpo, não precisamos mais dele.

E se ao invés de deixar tudo para os vermes e bactérias devorarem, eu puder salvar ou prolongar a vida de alguém, devolver a visão, acabar com as sessões de hemodiálise, etc. Acho que fica bem claro, o motivo da minha escolha.

Mas esta é uma decisão pessoal, intransferível, e que deve ser informada aos familiares e ainda temos a opção de registrar no documento de identidade (RG).

Veja esta matéria sobre a doação de órgãos, emitida no site do ministério da saúde:




"Transplantes de órgãos crescem 24,3%

Dados do Ministério da Saúde mostram que o número de transplantes de órgãos realizados em todo o país, com doador falecido, subiu 24,3% no primeiro semestre de 2009 em comparação com o mesmo período de 2008.

O recorte que avalia apenas as doações de órgãos de falecidos e intervivos, sem contar os transplantes de córnea e de medula, também apresenta um resultado favorável. Na comparação dos dois períodos, as cirurgias de transplantes de rim, fígado, coração, pâncreas e pulmão (independentemente se doados por pessoas já falecidas ou vivas) cresceram 16,31%. Ou seja, estes procedimentos estão sendo realizados com frequência cada vez maior, sendo que a projeção feita pelo SNT para o fim do ano indica que até dezembro o país terá realizado 12,2% a mais de cirurgias de transplantes destes tipos de órgãos que no ano de 2008 inteiro. Apesar de ser uma projeção com base nos números levantados, a coordenadora do SNT, Rosana Nothen, esta confiante na superação desta meta em relação aos doadores falecidos, já que é esperado que a gripe interfira nos números de transplantes intervivos.

Por outro lado, considerando também as doações de falecidos, de intervivos (com órgãos retirados de pessoas vivas) e os transplantes de córnea e de medula óssea (que ao contrário do que muitos pensam não são órgãos, mas tecidos humanos), o aumento no volume de transplantes foi menor (2,83%) em todo o país no primeiro semestre de 2009 frente ao mesmo período de 2008.

CAMPANHA - Para melhorar ainda mais este desempenho e sensibilizar outras pessoas sobre a importância de informar os familiares e amigos sobre a intenção de ser doador, o Ministério da Saúde lança, neste domingo (27), a Campanha Nacional de Incentivo à Doação de Órgãos. A campanha mostrará que não é preciso deixar nada escrito, mas, simplesmente, comunicar sua família sobre a intenção de ter seus órgãos transplantados. Com o slogan “A vida é feita de conversas. Basta uma para salvar vidas”, a nova campanha começa a ser veiculada no domingo (27), nas televisões e rádios de todo o Brasil.

A lista de espera por um transplante no Brasil diminuiu 1% entre dezembro de 2008 e julho deste ano, quando 63,8 mil pessoas aguardavam por um transplante no país. No fim do ano passado, era de 64,4 mil pessoas. O aperfeiçoamento dos processos de gestão das centrais estaduais tem participação nesta redução, à medida que a listas têm sido atualizadas e pacientes recadastrados. O volume de transplantes de córneas realizados no estado de São Paulo também fez a lista geral de espera diminuir. Só no primeiro semestre deste ano, foram 2.948 córneas transplantadas apenas nos hospitais paulistas. No Brasil, foram 6.151 procedimentos desse tipo..." (leia na íntegra)

E você? É a favor da doação de órgãos?

Você que é a favor: já comunicou sua família?

Assista ao vídeo sobre o tema:


6 Originalidades compartilhadas por aqui:

Ana disse...

eu tb apoio a doaçao de orgaos! isso mesmo, antes ajudar ao proximo do q dar a carne aos abutres...

faz tempoq nao vinha aki, esta lindinho seu blog!!!
bjsss e continue apoiando essa causa :)

Olhos e pensamentos disse...

Por isso esse blog é cultura...muito bom o post

Rosi disse...

Raquel
Tb endosso essa causa, nada mais solidário que ajudar o próximo, não é mesmo?!
Bjs

Renata Nogueira disse...

Raquel, taruíra é o mesmo que lagartixa...é pq aqui a chamamos assim...rs
Bacana esse post seu, hein!
Beijão

Raquel Cecília disse...

Lu, Ana: obrigada! Fico contente que tenham gostado da idéia! =^^=

Rosi, com certeza ajudar ao próximo é o caminho! =^^=

Renta, que interessante o nome que vocês dão para a bichinha! =D Conheço duas pessoas que têm pavor de lagartichas também! Eu sou assim com aranhas... Fico petrificada! :-S

Bjinuhs!

Olhos e pensamentos disse...

Raquel vc foi no ponto exato, minhas proximas postagens já havia pensado em falar do chocolate, pensei em até repetir uma postagem dos olhos e pensamentos...Café, chocolate..a vida sem eles não teriam graça