BlogBlogs.Com.Br

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Dormir aqui, e acordar em outro lugar... Lembranças.


Não, não é nada disso que você deve estar pensando!

Até hoje, não bebi tanto que chegasse a esquecer de onde eu passei a noite, e vou me esforçar para que não aconteça!

Mas eu tenho lembranças boas, gostosas mesmo, da minha infância lá atrás... Antes de os meus pais se separarem.

Como muitas meninas, eu era maluca pelo meu pai, vivia grudada nele quando ele estava em casa, e sóbrio... Eu bem que queria ficar ali ao lado da cama, enquanto ele deitado, colocava a bebedeira de uma noite inteira para fora, mas minha mãe sabiamente não me deixava.

E as coisas foram assim... Acontecendo, até que eu não tinha mais meu pai por perto. Ele tinha ido embora.

O que tem a ver com o título?

Aaahhh... Uma das lembranças mais gostosas que tenho, é de ser carregada nos braços dele, me levando para cama quando eu adormecia no sofá.

Desde que me entendo por gente tenho insônia, e sempre usei a TV como recurso para me ajudar a dormir.

E em muitas vezes, eu só ficava ali, achando que conseguiria ficar acordada até a hora de ele chegar.

Então, quando eu acordava na manhã seguinte, deitada na minha cama, eu sabia que aquele calor protetor, os braços fortes me embalando, não tinham sido apenas o sonho que me enredou noite afora... Eu sabia que meu pai estivera ali para mim, mesmo com todos seus defeitos, ele ainda lembrava se importava em me colocar para dormir.

Hoje, depois de 21 anos que meus pais se separaram, o vício ainda está lá, e a segunda esposa é quem tem que aturar.

Eu, continuo sendo aquela garotinha, lá dentro, bem no fundo, que admira e ama seu pai... Apesar de seus defeitos, porque ele nunca deixou de se importar.

E você? Já acordou num lugar diferente de onde dormiu?

11 Originalidades compartilhadas por aqui:

Vou de coletivo! disse...

Quanto afeto em um pequeno gesto... lindo texto! Não esqueça de citar o link na blogagem de setembro e dividir essa maravilhosa experiência com os outros blogueiros do Vou de coletivo!

Abração e muito obrigado pela participação!

António Rosa disse...

Lindo e ternurento post. Bonita postagem para a viagem do colectivo.

Nade disse...

Raquel, querida!
Estas lembranças gostosas do passado, de épocas maravilhosas das nossas vida e que não voltam mais, fazem com que tenhamos sempre vontade de fechar os olhos e, ao abrir, aparecer em outro lugar do passado...
Muito lindo o seu post!
Muito legal mesmo!
Este mês, o tema proposto foi demais, não é! Excelente a sua participação!
Bjs

hijakskank disse...

Belo TExto...muito delicado! Parabéns...Vamos todos de Coletivo!

Teresa disse...

Que boa e terna recordação. Parabéns pelo texto.
Bjs

Sandra disse...

Olha amiga. Cada um de nós traz um pouco do aconchego da familia e as suas dificuldades.
Sabe, não tenho lembrança de meu pai me carregar no colo.
bem pelo contrario. Mas,,,,, é assim...

Ficou muito legal.
Cada um tem seu jeito de expressar os seus sentimentos e e momentos.
É isso dai..
Estou também participando desse momento coletivo do Murilo.
http://sandrarandrade7.blogspot.com/
Sandra

Mari Amorim disse...

Raquel,
Bela participação e adorei teu blog,deixo um Haikai,para brindarmos essa viagem,neste coletivo
CANETA ''Hábil instrumento que extrai da alma preciosos pensamentos.''
Boas energias
Mari

Raiana Reis disse...

Oi Raquel, vi que é uma das seguidoras do Tocou e vim agradecer por esta atenção em linkar o blog aqui também, fico feliz que goste de nos visitar...
Adorei o seu post, remete as lembranças de infância... eu não tenho essas recordações, da figura paterna, mas fui tocada!

Beijos no coração e tenha uma ótima semana!
www.tocou.blogspot.com

Mah disse...

Ser criança criada no meio da cama dos pais antes do soninho é pra lá de bom... A gente cresce e aquela sensação continua em nós... Tb brinquei muito na cama, à noite, antes do soninho. Bom d+, né?
Foi legal essa lembrança.
Bjss

Clara disse...

Ai que texto lindo e cheio de saudades...
sei bem o que é isso, lembrar da infancia é sempre muito doce!!
beijos

angela disse...

Bonito esse amor e essa confiança do amor de seu pai. "ele nunca deixou de se importar".
E apesar da dificuldades você pode carregar pela vida, dentro de você, este pai que a carrega no colo e a põe para dormir em uma cama macia.
beijos