BlogBlogs.Com.Br

quarta-feira, 12 de maio de 2010

Eu acho que eu vi um gatinho... Eu vi! Eu vi sim! Oba!

SIM! SIM! Finalmente encontrei meu gato!


Depois de 12 dias desde o desaparecimento do meu gato, dias de angústia sem saber seu paradeiro e ainda recebendo pistas falsas, encontramos o danadinho escondido na garagem da casa vizinha!

Desde que ele sumiu a busca estava sendo frustrante!

Na mesma semana meu sogro contou que avistou a noite um gato muito parecido com o nosso, justamente na porta da casa onde o encontramos, mas que ele achava não ser ele, porque o Garu sempre atende quando o chamamos pelo nome, e o tal gato fugiu dele. Ficamos de olho todas as noites quando voltávamos da faculdade na esperança de vermos com nossos próprios olhos o gato, para quem sabe o reconhecermos, mas nunca o vimos.

Depois disso decidimos espalhar cartazes pelas proximidades de nossa casa, já que somente conversar com os vizinhos e conhecidos não estava trazendo resultados. Foi então que surgiram duas pistas que me encheu de esperança, mas eram falsas.

Uma das pistas nos levou a casa de uma senhora que cria 11 gatos - segundo a filha dela - e ficamos pensando que ela o tinha encontrado mas como seria só mais um para alimentar seu amor por felinos, ela não queria devolver e por isso havia dito que não o tinha encontrado.

A segunda chegou ontem mesmo, e levou meu sogro até outra casa na rua atrás da que eu moro, onde a moradora disse que encontrou sim um gato malhado na garagem de sua casa, e o deixou ficar apenas por um dia mas não tinha intensão de ficar com ele, por isso pediu para sua amiga abandoná-lo numa pracinha que fica nas proximidades - mas para um animal pequeno e indefeso a distância é enorme. Essa última pista me deixou revoltada, e extremamente preocupada, e posso até confessar: me fez perder as esperanças! Achei que ele não conseguiria voltar para casa, e que poderia ser atropelado ou mesmo resgatado.

Para minha felicidade não foi o que aconteceu, mas ainda assim, existe um gato perdido naquela praça por negligência de um ser humano incapaz de procurar ajuda para ele... E nisso eu ainda não deixei de pensar, por isso decidi que no sábado (quando tenho folga) vou até lá procurar por ele, e se encontrá-lo providenciarei um lar para ele ou procurarei o dono, porque caso tenha sido perdido e não abandonado alguém está neste momento vivendo toda a aflição que vivi.

Enfim, ontem a noite por volta das 23h30m o irmão mais novo do meu marido avistou o tal gato que meu sogro tinha visto e correu para nos avisar. Meu marido foi na frente, enquanto eu vestia um agasalho. Cheguei na rua com o coração na boca só de pensar que poderia ser ele, imaginando se estava bem, inteiro! Meu cunhado quando me viu chegando disse que ele não saia da garagem da vizinha, e pediu para eu buscar ração para atraí-lo. Coitado dele, nem dei atenção, não conseguia escutá-lo! só me lembro de responder "não precisa ele vem", enquanto ia na direção da casa onde estava o meu marido ajoelhado na calçada chamando pelo gato, que totalmente assustado e desconfiado só miava de longe.

A melhor parte foi quando cheguei no portão da casa, olhei para ele e sabia: era o meu Garu! Foi eu chamá-lo do jeitinho especial que tenho de falar com ele e com minha gata, que no mesmo instante ele começou a empinar o rabo e roçar na roda do carro fazendo festa para mim ao modo dos felinos! Eu estendi minha mão entre as grades, que é a mesma coisa que assobiar para um cão: ele vê a mão estendida e corre para ganhar cafuné! Dito e feito: lá veio ele todo alegre e se afagou na minha mão dizendo em sua linguagem "você veio! você me achou! estou feliz em ver você!".

Claro que eu choreeeeeeeeeiiiiiiii largaaaaadaaaaa!

Depois de tirá-lo de lá, corri para casa para olhar bem de perto para ele, apalpar e ver se estava tudo no lugar certo, se estava tudo bem com ele, e está! Não tem nenhum sinal de agressão, fratura, cortes, nem nada grave. Dentro de casa, parecia que ele estava ali pela primeira vez: reconhecendo tudo de novo, cheirando tudo (para ter certeza de que não estava sonhando eu acho), percorreu cada cômodo (como se fossem muitos né?) até que finalmente encontrou sua caminha e lá ele deitou eufórico e ao mesmo tempo exausto!

Este é o meu final feliz a uma espera angustiante! Agora só falta levá-lo para a veterinária fazer um checkup geral!

Obrigada a todos que me ajudaram na divulgação da busca pelo meu filhote, e por todos que me apoiaram com mensagens positivas!

4 Originalidades compartilhadas por aqui:

Daniel Savio disse...

Que bom que você achou o teu gato, mas o que espera de uma raçã de animal que nem os exemplares da própria especie ela ajuda?!

Fique com Deus, menina Raquel Cecilia.
Um abraço.

Silvia Freitas disse...

Puxa, que boa notícia!!! Graças a Deus, uma alegria para os que estavam torcendo por vcs. beijos!!!

Luciana Klopper disse...

Raquel, que saudades de vc menina! Que triste vc ter perdido seu gatinho, mas imagino o alivio de encontra lo...agora sou mãe de uma cadelinha, bilica de 4 meses...uma raça q o pessoal chama de salsicha..ela tava muito doentinha qdo veio aqui pra casa, tinha fungos e sarna nos pelo e tanta verme q tava descalcificando e tinha muitas ínguas...mas cuidei bem dela e ela agora tá saudável e cada dia mais linda e levada!! bjs

Patrícia disse...

Relato emocionante :´)

Muito feliz por vocês!